O que é Masoquismo para a Psicologia?

O masoquismo é visto como uma irregularidade comportamental em que o prazer é obtido na dor, ou seja, a dor física ou mental pode trazer uma satisfação.

Uma pesquisa sobre masoquismo foi iniciada por Freud (1924/1974) onde foi proposto que o tema se configurava como uma perversão, dentro da pesquisa o masoquismo tratava-se de uma perversão integrante da sexualidade. Assim, o conceito acabou tornando-se uma base para compreender o psiquismo dentro da teoria freudiana. Dessa forma, alguns estudos pós freudianos entendem o masoquismo como uma forma de lidar com o desamparo.

É complexo encontrar o que possa explicar a influencia do masoquismo, para alguns dor física seria um estímulo para que alguém consiga se excitar, usando perspectivas neurológicas, desse modo a dor libera endorfina, dando sensação de prazer logo após a dor inicial acabar. Logo, para outros o ponto explorado diz respeito da repressão vivenciada quanto as fantasias sexuais, a moralidade julgando como inapropriadas. Assim, o sujito acaba suprimindo isso ao mesmo tempo em que torna essa postura mais desejável. Além do mais, experiências impactantes na infância ou traumas podem levar uma pessoa a apresentar essa conduta.

Para o masoquista o ato de se machucar seria pertencente a um desejo de se libertar das tensões instintivas interiores. Nesse trajeto, a angústia do prazer acaba impedindo que o masoquista possa sentir qualquer satisfação em sua iniciativa, por fim sentir um prazer inofensivo em qualquer escala é quase que impossível para ele.

Também, o masoquista não se sente acanhado em se engajar nas atividades dolorosas, especialmente de cunho sexual, assim, tomamgosto por atividades como: ser acorrentado, espancado, humilhado ou qualquer outra forma de sofrimento. Apesar de que isso não diga respeito apenas ao sexo, é mais comum de se ver nesse contexto, pois a dor serve como estimulante para atingir a excitação sexual. Logo após a dor que sente um prazer imediato aparece e assim é feito a associação entre o prazer e a dor.

Ainda que possa sentir vergonha, culpa ou ansiedade o individuo nao deixará de repetir o ato, seja esse de forma isolada ou com alguem inflingindo algum tipo de castigo. Vale salientar que não é incomum ocorrer lesões gras ou até mesmo mortes.

O tratamento sugerido para a pessoa é a psicoterapia e intervenção medicamentosa de cunho psiquiátrico ambas com a intenção de que o mesmo utilize ferramentas e aprenda a não aderir os mesmos estímulos e evitá-los. Dessa maneira, o uso medicamentoso é inserido como forma de amenizar a intensidade do impulso sexual usando antidepressivos, o que irá auxiliar na redução da excitação e desejo sexual.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo